A Fama…

Não sei se vocês já ouviram falar, mas tem uma cantora-produtora-compositora americana que tem feito o maior sucesso no Brasil nessas últimas semanas. Ela, inclusive, já tem sua música tocando nas rádios brasileiras e esteve na 8ª posição do Hit Parade Brasil dessa semana, em sua estreia na parada. Além disso, o seu primeiro single “Just Dance” já está há 24 semanas no Hot 100 da Billboard – a parada mais importante do mundo – e em 1º lugar.

Já era de se esperar que Stefani Joanne Germanotta tá virando modinha no Brasil. Como assim, não sabe quem é? Talvez seja porque seu nome artístico, Lady GaGa, seja um pouco melhor que o seu real.

Antes de ser cantora, Lady GaGa escrevia músicas para artistas como as Pussycat Dolls. Fica a dica que ela também escreveu duas músicas do novo CD da Britney Spears, “Circus” (clique aqui para ver a crítica sobre esse CD), a melhor chamada “Quicksand” – infelizmente, só uma B-side – e “Blur”, que está na tracklisting oficial do álbum.

Ela se lançou como cantora no dia 13 de julho, apresentando seu primeiro single, “Just Dance” no Miss Universo 2008, no Vietnã. De lá pra cá, foi só sucesso. Seu CD, “The Fame”, lançado no dia 28 de outubro, já é uma febre. Com 2 singles e 3 vídeos – “Just Dance”, “Beautiful, Dirty, Rich” e “Poker Face” -, sendo que “Beautiful, Dirty, Rich” não foi lançada como single, graças ao baixo desempenho da música.

Agora que até você já sabe quem ela é, resta saber se Christina Aguilera vai continuar fingindo que não sabe, mesmo com todo o sucesso que ela vem fazendo.

O som de Lady GaGa, é, de certa forma, parecido com o que Christina Aguilera assumiu em seu novo CD “Keeps Gettin’ Better” (clique aqui para ver a crítica sobre esse CD), só que com uma qualidade incrivelmente superior. E isso, aos 22 anos.

É claro que não é porque a qualidade sonora é melhor que a de Christina, que seja 100%. Enfim, vejamos a crítica faixa-a-faixa.

Clique em “Continue lendo…” para ler a crítica faixa-a-faixa, ver os vídeos, e fazer o donwload do álbum de Lady GaGa.

1. Just Dance (ft. Colby O’Donis)
Melhor escolha para abrir o CD, impossível. O primeiro single do álbum, já te prepara para o que virá ao decorrer das faixas. Excelente. Bem upbeat e é bem promissora nas pistas de dança. O bridge da música é completamente desnecessário, diga-se de passagem. Pelo menos a música tem uma duração excelente, nem curta demais e nem cansa. São 4 minutos muito bem distribuídos. Rs.
Nota 10.

2. Love Game
É diferente. Ainda com elementos de “Just Dance”, mas é interessante. Upbeat eletrônica também – como a maior parte do álbum. Sem muitos comentários. Não tem nada de excepcional, mas é boa. Nessa, ela mostra muito bem a voz, que em alguns momentos, apresenta a potência de Christina Aguilera. Quase gêmeas, né? Rs.
Nota 8.

3. Paparazzi
Essa música é trilha de Gossip Girl, apesar de não ser single. Muito boa. Uma de minhas preferidas. Deixa a desejar pela duração. Totalmente chiclete. É aquele tipo de música que, assim que você ouve, quer colocar no repeat e procurar a letra pra cantar junto. A voz de GaGa aparece mais suave nessa.
Nota 10.

4. Poker Face
Segundo single efetivo do álbum. Interessante. O sintetizador é exatamente o mesmo de “Just Dance”, e outros elmentos também lembram o carro-chefe do álbum. E apesar dela ser meio que upbeat também, tenho minhas dúvidas sobre o desempenho dela nas pistas de dança. Daí, a pergunta seria: será que Lady GaGa, pelo menos no Brasil, seria uma artista de uma música só? Vide Sophie Ellis-Bextor (clique aqui para ler sobre a artista). O clipe pelo menos é ótimo.
Nota 9.

5. Eh, Eh (Nothing Else I Can Say)
Ouvi dizer que essa está cotada pra ser o terceiro single. É muito gostosa. Meio midtempo, que tem a voz de Lady GaGa também mais suave que as outras. Outro chiclete. Nem que seja o “eh, eh” você se pega cantando o tempo todo. Se você ouvir só ela então, você tá perdido. Adoro ela.
Nota 10.

6. Beautiful, Dirty, Rich
Essa música seria o segundo single, mas foi sabiamente trocado por “Poker Face”. Não é que ela seja de todo ruim. Mas é que, se com “Poker Face” eu tenho minhas dúvidas sobre o desempenho dela, com essa eu não tenho dúvidas. Ia se dar mal. Muito. O bom dessa é que o instrumental não é cheio de sintetizadores. Lembra aqueles pops antigos – não tão antigos assim – que eram feitos com instrumentos de verdade, adicionados de alguns elementos, digamos, futuristas. Lembra as primeiras músicas da Sophie.
Nota 8.

7. The Fame
Outra que possui instrumentos. Quem diria, né? Essa é excelente. Podia até ser single. Tem um potencial comercial legal. É bem contagiante. É difícil você pelo menos não bater o pé nessa música.
Nota 9.

8. Money Honey
Estamos de volta aos sintetizadores. Pelo menos deram uma intercalada legal. Ainda elementos de “Just Dance”. Essa eu também acho que tem um potencial comercial excelente. Uma das melhores músicas do álbum. Bem upbeat também. Faria bonito nas “dancefloors” ao redor do mundo. Curta, mas boa.
Nota 10.

9. Starstruck (ft. Space Cowboy)
Vozes robotizadas? Amo. A música já começa boa. Com muitos efeitos, a música é tudo menos previsível. Tem ate um rapzinho no meio mandado pelo Space Cowboy. Bem futurista, sem ficar brega (fica a dica, Christina).
Nota 9.

10. Boys Boys Boys
O início da musica lembra muito aqueles instrumentais de eurodance antigos. Outro chicletinho. É agradável. Rs. Repetitiva, mas boa.
Nota 7.

11. Paper Gangsta
Um piano abre a música e uma batida bem marcante. Eu amo essa música. O início me lembra P!nk (clique aqui para ler sobre o último CD da cantora), não sei por quê. Uma melodia bem marcante também. Chiclete também. Também usa vocoders – as vozes robotizadas. É outra que você se pega cantarolando por aí. Excelente. Um pouco longa, mas boa.
Nota 10.

12. Brown Eyes
Pelo início você já tem a idéia de que vai ser uma música longa. Longa e sonolenta. Mas não é de todo ruim. É a primeira balada desde o início do CD. A voz dela funcionou bem para o estilo da faixa. Gostei.
Nota 8.

13. I Like It Rough
De volta aos sintetizadores. Uma batida bem contagiante. Mas parece que já ouvi essa faixa mais cedo no CD. Não tem nada de muito inédito não. Não é ruim. É meio fraca, mas é interessante.
Nota 7.

14. Summerboy
Uma batida excelente, no estilo meio funk – dos EUA, viu? Um baixo bacana, um estilo de voz diferente. Uma melodia imprevisível. É excelente. Me lembrou algumas músicas do Rooney (clique aqui para ler sobre a banda). Uma delícia de múcia. Difícil de cansar.
Nota 10.

15. Vanity (Bonus Track)
Sintetizadores, a ponto de poluir, abrem a música. Uma vozinha de adolescente irritante também faz sua parte. Achei estranha. Não sei se gostei dessa faixa.
Nota 6.

16. Again Again (Bonus Track)
Dando uma de Christina Aguilera – juro que tento evitar as comparações, mas é difícil -, Lady abre essa faixa. Aparece totalmente desconexa do estilo proposto pelo CD.
Nota 6.

17. Disco Heaven (Bonus Track)
Essa já lembra aquele popzinho antigo no estilo “disco fever”. Não é ruim não. Só também não é excelente. É razoável.
Nota 7.

18. Big Girl Now (ft. New Kids On The Block) (Bonus Track)
As vozes dos rapazes combinaram perfeitamente com a de GaGa e a música ficou excelente. Também com um instrumental contagiante. Brilhante. Você só desanima de chegar até ela. Rs.
Nota 9.

Assista ao vídeo de “Just Dance”:

Clique aqui para assistir ao vídeo de “Beautiful, Dirty, Rich”.

Assista ao vídeo de “Poker Face”:

downloadÁlbum: “The Fame” – Deluxe Edition
Lady GaGa

Anúncios

Um pensamento sobre “A Fama…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s