Vamos falar de teatro?

Muito se fala aqui sobre música, cinema, e travestis mas agora é hora de falar do teatro, dentro do contexto do mercadopop, cla-aro!

Atualmente nos palcos nacionais, para ser mais especifica, palcos paulistas, o babado da vez é a peça IMPROVÁVEL.

O teatro se baseia em jogos de improvisos, e tem claras e assumidas influências dos programas humorísticos de improviso norte-americanos, como o famoso Whose Line Is It, Anyway?

Antes de falar que no Brasil nada se cria, tudo se copia, saiba que, o espetáculo conseguiu ser melhor do que os próprios programas que lhe deram origem, e quer saber porquê? Porque juntou-se a fórmula dos EUA, com o jeitinho espontâneo, autêntico e sacana brasileiro de fazer humor!

Para quem mora em São Paulo, e tem chance de assistir o espetáculo ao vivo, vá! O Improvável acontece toda última quinta-feira do mês no Teatro Jardim São Paulo!

Para quem não mora na região, é torcer para que a peça entre em tour pelo país!

Aproveite para conferir o 3º Festival Jogando no Quintal de Improvisação, que começa hoje no Teatro Santa Cruz e vai até o dia 05 de outubro, contando com a participação de artistas da Argentina, Chile, Colômbia e Brasil.

Fique ligado através do site oficial e do canal oficial no youtube

Assista um dos diversos vídeos disponiveis do Improvavél no youtube, um espetáculo provavelmente bom!

Anúncios

The Bravery

The Bravery é uma banda norte-americana de rock alternativo. Formada no ano de 2003, é composta por Sam Endicott (vocais, guitarra), John Conway (teclado), Anthony Burulcich (bateria), Michael Zakarin (guitarra) e Mike Hindert (baixo).
A maioria das pessoas que conhece e gosta da banda, acabou conhecendo-a através dos seus primeiros singles “An Honest Mistake” e “Fearless” do seu primeiro álbum, de 2005, que chegou ao Top 20 nos Estados Unidos e ao Top 5 no Reino Unido, mas podemos dizer que a banda começou a ter mais visibilidade graças ao fã Josh Schwartz, diretor das séries de sucesso THE OC e GOSSIP GIRL, que adicionou sucessos de suas bandas preferidas à trilha sonora das séries.

O single do novo album do The Bravery, “Believe”, entrou na roda, e aparece em alguns episódios de Gossip Girl, fazendo os fãs da série começarem a baixar a música e se interessar pela banda.

Foi assim que eu me interessei pelo The Bravery também, diga-se de passagem. E foi assim que, quando vi seu cd mais recente à venda, o “THE SUN AND THE MOON”, comprei sem demora… E não me arrependi.

A banda tem uma característica única, e um ponto a mais pelo vocal de Sam Endicott, com um timbre diferenciado, não como qualquer banda de rock nova que aparece por aí.

Quer uma preview do novo cd dos caras e ler a review? Clique em Leia Mais!

Continuar lendo

Mais algumas novidades…

É… E parece que essa desorganização da Time 4 Fun não tem fim. A empresa divulgou na última sexta-feira, dia 26, que ainda existem, e muitos, ingressos à venda para os 5 shows da superstar no Brasil. Como isso pode acontecer? Graças àquele caos do início das vendas, em que as compras de várias pessoas foi debitada várias vezes. A empresa foi obrigada a cancelar as compras a mais das pessoas. Assim, aqueles shows que a empresa disse que estavam esgotados, não existem.

Existem ingressos para praticamente todos os setores – exceto Pista Vip – para todos os shows. Para comprá-los, acesse o site da Ticketmaster ou ligue para o call center no telefone (11) 4004 1007.

Outra desorganização foi por conta do envio de ingressos. Quem comprou depois, nessas aberturas extras de venda, já recebeu seus ingressos. Agora, quem ficou acordado até ás 5h da manhã do dia de abertura de ingressos para o Rio de Janeiro ainda não. Não é necessário tecer comentários sobre esse assunto lamentável.

Da nossa equipe, só o Filipe NS recebeu os ingressos para o show de São Paulo. Eu e Douglas ainda esperamos pelos nossos do dia 14 de dezembro. Ohana já está com ele em mãos porque comprou na bilheteria.

A BOA NOTÍCIA
Rumores dão conta de que a gravação do DVD da Sticky & Sweet Tour pode rolar em terras tupiniquins. O Terra divulgou uma nota em seu site dizendo que o diretor do documentário “I Am Because We Are”, narrado por Madonna, confirmou o interessa da superstar em filmar o DVD oficial da turnê aqui no Brasil, no dia 14 de dezembro.

E ainda rola na internet que Justin Timberlake deve participar da gravação do DVD. E aí? Será que ele vem?

Paramore no Brasil!

Pra quem gostou daqueles reviews, baixou o cd, viciou e virou fã, essas novidades serão muito bem vindas.
Há algum tempo a MTV bateu um papo com Jeremy Davis, baixista do Paramore. Na época, ele disse que, provavelmente, a banda iria fazer alguns shows no Brasil. Agora, está confirmado. De acordo com o site oficial do grupo, Hayley Williams e sua trupe vão fazer três shows.

O Paramore chega ao Brasil no dia 23 de outubro para tocar no Pepsi On Stage, em Porto Alegre, logo após, tocam em São Paulo, no Credicard Hall. A mini-turnê encerra no Citibank Hall, no Rio de Janeiro.

E é lógico que já estão circulando por aí vários concursos para ganhar um ingresso exclusivo para os shows! Um deles está sendo feito pela rádio MIX 106,9 FM, que terá a presença da banda em seu estúdio para um mini show acústico com a presença de alguns poucos sorteados – que ainda ganharão o ingresso para o show aqui no Brasil.
Para saber mais detalhes sobre a promoção da MIX, clique AQUI.

Outro concurso está sendo feito pelo site oficial do Paramore no Brasil: São dois ganhadores, e tudo que você tem que fazer é 1) Mandar uma foto criativa mostrando sua loucura pela banda, seguida de uma frase que a explique OU 2) Mandar O LINK de um vídeo que mostre você expressando sua loucura pela banda. Os prêmios são 1 ingresso pista (Credicard Hall 23/10) mais um encontro com a banda para uma pessoa (São Paulo/SP).
Quer ler o regulamento do concurso e saber como participar? Clique no banner abaixo!

Womanizer

É… Britney Spears está de volta… Bom.. De novo, né? Aliás, sinto dizer que não tão bem quanto foi a volta dela em 2007 com o “Blackout”. Isso, musicalmente falando, né? Afinal, é impossível dizer que aquela apresentação do VMA no ano passado foi melhor que a aparição de Spears no evento desse ano.

O que acontece é que o primeiro single de Britney de seu sexto álbum de inéditas, “Circus” – oitavo de sua carreira, previsto para ser lançado dia 02 de dezembro -, vazou ontem e se chama “Womanizer”. Envolvendo uma grande espera e expectativa, essa música marcaria o retorno pra valer de Spears ao mundo da música, dessa vez, sem problemas – a gente sempre espera.

Só que o retorno de 2008 não é tão bom quanto o seu retorno de 2007. “Womanizer” está longe de ser tão boa quanto “Gimme More”, que tinha um apelo muito maior. O novo single é cheio de repetições, e ao final, você não aguenta mais ouvir a palavra-título da música.

A capa do single é tão futurista quanto o instrumental da música:

É mais ou menos o que Christina Aguilera tentou fazer com seu novo single. Só que não ficou tão bom quanto “Womanizer”, que não é tãão excelente assim. Para quem é fã da moça e conhece suas músicas, é meio que uma mistura de “Toxic” com “Ooh Ooh Baby”. Para quem não é, imagine Katy Perry num dueto com as Pussycat Dolls. O resultado é mais ou menos essa música.

É mais ou menos as músicas do “Blackout” – seu último álbum -, só que mais bem trabalhada.

Mas não se pode negar que é um chiclete. Aliás, todas as músicas mais recentes de Spears têm tido essa característica. Seja, pela repetição das letras, ou pelo instrumental marcante. Em “Womanizer”, é por causa da letra.

O refrão que vai “Boy don’t try to front, I-I know just-just what you are-are-are” se repete-ete várias vezes-ezes até o final da música-úsica deixando os não-fãs bem irritadinhos-inhos.

Para saber mais, baixar a música e ver a letra, clique em Leia Mais… Continuar lendo

A song for BRITNEY

Jeffrey Stephen “Bebo” Norman cantor americado de folk pop não é nenhum recém chegado no mundo da música,e teve seu primeiro album lançado em 1996, intitulado: The Fabric of Verse. Porém, podemos dizer que agora, em 2008, ele deu seu grande acerto para cair na mídia e na boca do publico pop.
No seu nono álbum, intitulado: Bebo Norman, dedicou uma faixa para ninguém menos do que Miss Britney Spears.

A música? É linda, belissima, da letra à melodia, e tem uma carga emocional bastante forte.

Além disso, escutei o album do cantor e gostei bastante, ele faz um pop com bastante feeling e exploração de arranjos, a maioria das faixas lembram aquelas trilhas sonoras gostosas de filme e seriados teen americanos, enfim, é folk pop!

A música:

Pelo site oficial do cantor você escuta várias faixas!

A pergunta que fica é: Será que Britney já escutou a canção?

Clique em leia mais para ver a tradução da música “Britney”

Continuar lendo

Imagem Não é Tudo.

Trilha Sonora é um conjunto das peças musicais usadas num filme. Pode incluir música original, criada de propósito para o filme, ou outras peças musicais, canções e excertos de obras musicais anteriores ao filme.
Muitos críticos e pessoas em geral acham que a Trilha Sonora nada mais é que um pequeno detalhe de finalização em um filme, o que não é verdade.
É cientificamente comprovado que a música mexe com nosso subconsciente e inconsciente, nos proporcionando emoções diversas de acordo com o tipo de melodia, harmonia e ritmo da música tocada.

No seu melhor, as trilhas sonoras estão entre os trabalhos mais importantes dos compositores instrumentais contemporâneos na música moderna. Sergei Prokofiev, por exemplo, criou obras-primas em conjunto com um dos pais do cinema: Sergei Eisenstein. Outros grandes compositores do século XX são quase exclusivamente conhecidos pelas trilhas sonoras que criaram. Isso faz com que a gente pense novamente sobre nosso conceito de que as peças escritas como trilhas sonoras são meras músicas de fundo.

Em alguns casos, é o filme que populariza uma obra musical já existente. Várias trilhas sonoras clássicas não nos sai da cabeça, e podemos identificá-las assim que a ouvimos, como Tubarão e Missão Impossível.
2001 – Uma Odisseia no Espaço, de Stanley Kubrick, deu uma popularidade sem precedentes ao poema sinfônico “Assim Falou Zaratustra” do compositor Richard Strauss.
O filme “Elvira Madigan”, de Bo Widerberg, ao utilizar o concerto para piano n.º 21 de Wolfgang Amadeus Mozart, popularizou de tal forma esse tema musical que, apesar de já existir há muito, muito, muito tempo, passou a ser chamado como “a música de Elvira Madigan”.

Outro clássico, agora um pouco mais recente, é Titanic. Quem nunca ouviu Celine Dion cantando “My Heart Will Go On” e não se lembra de Jack e Rose voando na proa do maior navio do mundo?

Quer conferir algumas das melhores trilhas sonoras (recentes ou não) que encontramos por aí?

Piratas do Caribe

História de Piratas pede uma orquestra bem feita e um tema de aventura como nenhum outro. E foi isso que Klaus Badelt conseguiu fazer: eternizar a trilha de Piratas do Caribe, e o tema do pirata mais famoso do mundo (depois do Capitão Gancho), que é o Jack Sparrow.

Não tem como negar, A trilha de Piratas do Caribe nos faz entrar no filme como quase nenhuma outra. A música do filme, totalmente tematizada, consegue sair de um easylistening de violinos para um bombardeio com tímpanos e batidas com timbres diferentes que nos fazem pular de susto às vezes.
Belíssima trilha, com efeitos maravilhosos, perfeita para o clima aventura antiga e um tanto cômica que o filme propõe.

The Holiday

“The Holiday”, o nome original do filme, com Kate Winslet, Cameron Diaz, Jack Black e Jude Law, tem uma trilha sonora única e extremamente sentimental, como já era de se esperar. Mas não é como qualquer outra trilha de filme romântico que se vê por aí.
A história do filme nos cativa, sim, mas ninguém choraria nos cinemas vendo Kate Winslet se acabando por um homem que a largou por outra e Cameron Diaz desistindo de voltar para sua terra natal por causa de Jude Law – mesmo ele sendo lindo de morrer. Não. Não é isso que fez todas as pessoas que viram o filme, chorarem com ele.

Sua trilha sonora é uma das que mais me cativaram. Simplesmente excepcional, singela, com um toque de humor, mas nos fazendo arrepiar até o último fio de cabelo. Assim como a do Piratas, a trilha de The Holiday é orquestrada, mas totalmente e essencialmente emocional.

Harry Potter

Todo mundo agora já sabe ao ouvir aquele temazinho famoso quando vai assistir trailers de cinema: a tela pode ainda estar pretinha na nossa frente, mas já soltamos nosso grito “Oh, o novo trailer de Harry Potter!”.
O tema, bem místico, misterioso, dissonante e – literalmente – mágico, nos transporta diretamente para o mundo Potterístico.

Composta pelo lendário John Williams, a trilha de Harry Potter pode ser considerada uma das mais difíceis de ser composta pelo seguinte fato: Por ser uma série de 7 filmes em sequencia, a mesma coisa o tempo todo vai enjoar, é ou não é?
Mas Williams fez seu trabalho direitinho, principalmente em Harry Potter e o Cálice de Fogo, onde a trama começa a ficar mais obscura, mudando a harmonia das músicas, transformando o famoso tema do filme, fazendo-o ainda reconhecível, porém proporcionando uma emoção completamente diferente no espectador.

The Lord Of The Rings

Howard Shore e Leonard Rosenman, os compositores da trilha, conseguiram cumprir sua meta: a música do filme é Épica, e como!
Elfos, Orcs e Magos agora têm um tema gravado em nossa cabeça e sons peculiares que Shore e Rosenman nos deram como referência.

E com a participação de Enya, o Soundtrack ficou ainda mais místico.

O Fabuloso Destino de Amélie Poulain

Gosta de música francesa e pianos elaborados?
Um puta compositor – com o perdão da palavra – foi quem fez a Fabulosa Trilha Sonora de Amelie Poulain: Yann Thiersen. Não há como não se encantar com a música do filme, que com absoluta certeza, é o que mais chama atenção. São instrumentos como banjos, mandolin, acordeão, harpas, piano que transformam a trilha sonora de O Fabuloso Destino de Amélie Poulain em um clássico.

Jean-Pierre Jeunet, o diretor do filme, veio a conhecer o trabalho do multi-instrumentista Tiersen após ficar admirado com um disco que seu assistente de produção colocou para tocar enquanto estavam andando de carro. O cinesta comprou os direitos de todos os discos e decidiu conhecer o artista.

A trilha do filme, além de trazer composições originais, ainda tem faixas provenientes dos álbuns anteriores de Tiersen, como é o caso de uma das melhores faixas, “A Quai”, presente no disco L´Absente. Em muitas das composições das músicas, podemos sentir a pureza transparecida pela utilização de um piano de brinquedo. E também podemos ter um toque melancólico, como em “Comptine Dún Autr Été”, a música mais conhecida do filme.

Se interessou por Trilhas Sonoras? Visite o Sountrack.net!

Just Dance!


O Dangerous Muse é uma dupla americana de eletropop de Nova York. É formada por Mike Furey e Tom Napack. Os dois fazem uma música muito boa para dançar. Com umas batidas bem eletrônicas mesmo, eles vêm conseguindo manter um número cada vez mais crescente de fãs.

São artistas que também vale a pena conhecer. As músicas têm bastantes sintetizadores e a voz sussurrada do vocalista as deixam a cada ouvida, mais sexy.

A música mais conhecida deles é “The Rejection”, que fala sobre um rapaz que disse não a uma garota porque ele gosta de… hm… dançar. Aham, sei. Com uma batida muito gostosa, a música gruda no ouvido e nunca mais larga.

Apesar de eles já terem cerca de 6 ou 7 músicas gravadas e lançadas pelo iTunes e site oficial, eles ainda não tem um álbum, propriamente dito, lançado. Mas ele já está em processo de produção.

Para o CD de estréia, eles já contam com vários produtores, incluindo a dupla sueca Bloodshy & Avant (Madonna, Britney Spears – incluindo o hit ‘Toxic’ e Kylie Minogue). O lançamento está previsto para o final de 2008 ainda. Vale a pena esperar porque o álbum promete ser muito bom.

Para ver o clip de “The Rejection”, clique em Leia Mais. Continuar lendo

‘ROCK STAR’ no EMO DAY

Hoje, dia 24 de Setembro, no EMO DAY, o Rock Star está fazendo um especial de bandas emos! Se você pensa que só tem coisa ruim por aí, está enganado. Toda regra tem exceção!

Good Charlotte

Os gêmeos Benji e Joel nasceram em 1979 e cresceram numa família de classe média baixa em Waldorf, Maryland que, de acordo com Benji, fica “no meio do nada” – um comentário que já afirma como vai ser a bandinha desse indivíduo, não é mesmo? ¬¬. O irmão mais velho dos dois, Josh Madden, os influenciou com músicas que gostava, como Rancid, Green Day, Sex Pistols, The Cure, The Smiths, Beastie Boys e muitos outros. Benji começou a aprender a tocar guitarra sozinho aos 16 anos, enquanto Joel começava a preparar sua voz para ser o vocalista. Depois, em 1996, Aaron Escolopio se junta à eles e , assim, formando uma “banda”, que seria o início para o Good Charlotte, que lançou seu primeiro album no ano 2000.

Músicas que você com certeza já ouviu desse grupo são “Girls and Boys”, “Predictable” e “Chronicles Of Life And Death” – que é até boazinha. Confesso que até gostei dessa música na primeira vez que ouvi, uma batidinha leve no começo, que quaaaaase, mas bem quaaaase lembra algum ritmozinho diferente, mas a letra acaba desanimando a gente e ouvi-la repetidamente.
A não ser que você esteja em depressão.

RANKING: ESTRELA DE PRATA

Simple Plan

Simple Plan é uma banda de pop punk do Canadá formada em Montreal em 1999. A banda alcançou o sucesso em 2002 com edição do álbum “No Pads, No Helmets…Just Balls” depois de mais de 11 meses sem qualquer tipo de apoio de rádios ou televisões – o que não me admira muito devido à qualidade sonora da banda em questão.

A primeira vez que ouvi Simple Plan tocar foi no filme que as Gêmeas Olsen tentaram reerguer sua carreira “as gêmeas mais amadas do mundo em outra aventura de arrepiar” mas, viram que a galera já cansou disso e então resolveram cada uma seguir sua vida. Uma Loira e linda como sempre e a outra ficou anoréxica. Enfim. Claro que elas escolheriam o Simple Plan pra tocar no filme né? (rsrs).

A única música que realmente gostei do Simple Plan, foi, de fato, a que apareceu no filme, “Vacation”. Outras músicas que todo mundo conhece dos caras são “Perfect” e “Welcome To My Life” – vale lembrar que qualquer uma dessas duas podem ser consideradas o hino oficial mundial dos Emos. Se quiser saber por que, é só ver a letra das músicas em questão para entender do que estou falando…
(confira as letras no ‘leia mais’).

RANKING: ESTRELA DE BRONZE

My Chemical Romance

A banda foi formada pelo vocalista Gerard Way e pelo ex-baterista Matt Pelissier. A primeira canção que eles escreveram foi Skylines and Turnstiles, escrita por Gerard, na qual ele fala sobre seus sentimentos sobre os Ataques terroristas de 11 de Setembro. Pouco tempo depois, Ray Toro, Mikey Way (irmão de Gerard) e Frank Iero se juntaram ao grupo.

Gravaram seu primeiro álbum em 2002, I Brought You My Bullets, You Brought Me Your Love, pela Eyeball Records. Após o lançamento do CD eles iniciaram turnês com bandas como The Used, Thrice e Taking Back Sunday.

Músicas que você já deve ter ouvido? “Helena”, “Welcome To The Black Parade”, e “Teenagers”.

Eu não tenho comentários realmente bons sobre esta banda, então, fico apenas no comentário de que o vocalista tem um TOC muito sinistro, guitarrista esquizofrênico, e musiquinhas chatinhas e igualmente irritantes.

RANKING: ESTRELA DE BRONZE

The Used

The Used é uma banda norte americana de post-hardcore formada na cidade de Orem, Utah em 2001. Composta por Bert McCracken, nos vocais, Quinn Allman, como guitarrista, Jepha Howard, baixista e Dan Whitesides na bateria.

Uma das poucas bandas EMO que prestam no mundo. Apesar de suas letras e harmonias tristes, ambas são bonitas, inteligentes e muito bem elaboradas – Mesmo a voz de McCracken, com seu timbre-emo-de-ser, estrague muitas vezes algumas partes de musicas que tinham tudo para ser perfeitas.

Uma das músicas que mais gosto é “Blue and Yellow”, um dos singles deles mais ouvidos, assim como “All That I’ve Got” e “Paralyzed”.

A banda já gravou algumas músicas juntamente com o Goldfinger, Cute Is What We Aim For, The Distance, Linkin Park, HIM, Street Drum Corps.

RANKING: ESTRELA DE PRATA

Dashboard Confessional

Dashboard Confessional é uma banda estadunidense de rock alternativo, de Boca Raton, Flórida, liderada pelo compositor e guitarrista, Chris Carrabba (ex-vocalista da banda Further Seems Forever). A banda lançou seu primeiro EP, “Drowning, The Swiss Army Romance” em 2000, e no ano seguinte, “The Places That You Have Come To Fear The Most”.

Em 2002 ganharam um prêmio durante o MTV Video Music Awards, realizado pela MTV2, graças à música “Screaming Infidelities”.

Pouco tempo depois, lançaram o CD MTV Unplugged e, ainda em 2002, o álbum “Summer Kiss”.

O ano de 2003 foi marcado pelo lançamento de “A Mark, A Mission, A Brand, A Scar”, em 2006 foi lançado “Dusk and Summer” (em maio) e “The Shade of the Poison Trees” (em outubro).

Participaram das trilhas sonoras de Shrek 2 e Homem-Aranha 2.

RANKING: ESTRELA DE OURO para a banda, que está no TOP da minha lista. Dashboard Confessional, por muito tempo relutou contra o título de banda emo, mas não tem jeito. O timbre-emo-de-ser também persegue o Chris, coitado, apesar de suas músicas serem, de fato, muito boas.

Para conferir as letras dos hinos mundiais dos Emos, e alguns clipes – bem selecionados, é claro – das bandas mencionadas acima, clique em Leia Mais! Continuar lendo

Chris who?

Vocês lembram dele? Não? Pois é, a maioria não lembra mesmo.

Chris Crocker é um excentrico menino (oi?), de Los Angeles, que ficou famoso (e ridicularizado) na internet a meses atrás, com o video “Leave Britney Alone”, onde ele chorava em um apelo para que a mídia deixasse Britney Spears, sua obsessão de adolescência, em paz.
Depois do fatídico video, o mais novo internet personality (como é chamado pelos meios de comunicação) produziu vários outros, aparecendo cada vez mais ousado (leia-se travestido), assumindo sua homossexualidade, soltando os cachorros, e comentando sobre assuntos diversos em seu canal no Youtube. Começou a marcar presença em pequenos eventos hollywoodianos (sempre devidamente travestido) e a ser fotografado por paparazzi entediados. Fez show de strip, dublou em boites gays de Los Angeles, foi fotografado com suas partes íntimas de fora no meio da rua, arrumou briga com o canal de televisão FOX, entre outras traquinagens.

Eis que nesta semana, temos uma surpreendente descoberta: Chris Crocker joga na internet seu “debut single”, a música “Mind the Gutter”, seu início na industria fonográfica. A música já está a venda no site ITunes, e já foi ouvida por milhares de pessoas no Youtube.
O pior de tudo, é que a música NÃO é tão ruim! Para quem gosta do estilo pop descompromissado com pitadas eletrônicas, vai ouvir e até cantarolar a música por aí. Sua voz está distorcida por efeitos digitais em quase toda a música, dificultando até mesmo a compreensão da letra, os arranjos são confusos e a batida é inconstante, mas não é de todo ruim. Será que tem futuro?

Ouça abaixo a música “Mind the Gutter”:

Abaixo, o video que lançou Chris Crocker na internet:

E então? O que vocês acham?
Eu acho que esta situação toda nos leva a um belo debate sobre as atuais “celebridades”, e sobre o que merece estar na mídia hoje, ou não.