Isso que é um doce duro…

Nesta segunda-feira, dia 28, finalmente foi lançado o tão esperado novo CD de Madonna “Hard Candy”.

Um CD com 12 faixas, com a pegada meio hip-hop e R&B prometida por Madonna, mas sem perder o grande aspecto pop que sempre foi marca da cantora. Vários fãs respiraram aliviados, afinal, depois de uma capa nesse nível, pelo menos as músicas deveriam valer a pena.

O conjunto da obra ficou muito bom, porém, tomo como minhas, as palavras de Madonna em “Sorry”: “I heard it all before” (Eu já ouvi tudo isso antes). Aliás, venho ouvindo pelos últimos dois anos. O que deixou a desejar, foi exatamente a falta daquela coisa que sempre marcou a carreira de Madonna: a inovação. Principalmente ao escalar Timbaland e Justin Timberlake para a produção do CD. Aquela cantora que sempre esteve à frente de seu tempo, está se igualando a ele. Isso é aceitável para alguém do porte de Madonna?

A seguir, uma pequena crítica faixa a faixa do álbum:

Candy Shop 4:16 (P. Williams / Madonna)

Produzida pelos Neptunes e Co-produzida pela própria digníssima Madonna, não fede nem cheira. Não é ruim. É aquele tipo de música que, se estiver tocando, você não tira, mas quase não presta atenção. Porém chega um momento em que os agudos de Madonna irritam.E como a versão demo dela já havia baixado há algum tempo, todo mundo já sabia o que esperar. Enfim, a música não surpreendeu.

Nota 7

4 Minutes ft. Justin Timberlake & Timbaland 4:04 (Madonna / T. Mosley / J. Timberlake / N. Hills)

A produção dessa música foi uma festa: Timbaland, Justin Timberlake, e Danja (que produziu o último álbum de Britney Spears praticamente inteiro). Nem há muito o que falar sobre essa música. Todo mundo já viu o clipe e tudo mais. Agora, como praticamente todas as músicas do CD, é uma que a gente passa a gostar com o tempo. Tenho que admitir que foi uma excelente escolha para primeiro single e que é um chiclete.

Nota 10

Give It 2 Me 4:48 (P. Williams / Madonna)

Mais uma produzida pelos Neptunes e co-produzida por Madonna. É o segundo single do álbum. Um instrumental engraçadinho abre uma música dançante. Não chega a ser um “bate-cabelo”, mas é uma faixa muito bacana. Outro chiclete (Aliás, o CD é quase todo uma caixa de chicletes. Viciante.). Quando você menos espera, você se vê gritando “Give it to me. Yeah!” por aí. O convite de Madonna no meio da música onde ela diz: “Get stupid, get stupid, don’t stop it” (Fique bobo, não pare) é praticamente irrecusável.

Nota 9,5

Heartbeat 4:04 (P. Williams / Madonna)

O som das batidas de um coração abre uma das músicas com mais batidas de R&B e hip hop do álbum. E um pouco mais pra frente revela uma voz maravilhosa, que há algum tempo não ouvíamos nas músicas de Madonna. É uma música em que fica muito difícil ficar parado. As batidas até lembram um pouco das músicas antigas. E, apesar de ser um pouco mais lenta do que as primeiras, não se trata de uma balada (coisa que aliás, não existe nesse CD). Ao contrário de algumas outras faixas, essa poderia ser um pouco maior.

Nota 9,5

Miles Away 4:49 (Madonna / T. Mosley / J. Timberlake / N. Hills)

Um violão abre a uma música também um pouco mais lenta que as demais e logo se ouve Justin Timberlake fazendo seu famoso beatboxing bem ao fundo. Amor a distância é o assunto principal da faixa. Outra faixa em que a voz de Madonna está magnífica. Outro chiclete. A produção da música simplesmente não deixou nada a desejar. Você novamente vai se ouvir repetindo: “So far away… so far away… so far away…”. Uma das melhores faixas do CD. Precisa ser single ^^.

Nota 10

She’s Not Me 6:05 (P. Williams / Madonna)

Quando foi cogitado esse nome para uma das novas músicas de Madonna, muito se especulou sobre ser a respeito de Britney Spears, porém esse rumor foi completamente negado na letra da música, que fala sobre Madonna ser trocada por uma amante. Alguém merece? Essa é uma faixa que, a princípio, não vai mexer uma legião de fãs, mas que com o passar do tempo, vai se revelando uma faixa muito bacana. Mais ou menos na altura do 4º minuto ouve-se um fade com Madonna repetindo: “she’s not me and she never will be” (Ela não sou eu e nunca será). E quando acredita-se que a música chegou ao fim, a brilhante produção da música nos surpreende com um final, digamos, mixado desse último verso em que Madonna o repete incansavelmente. O finalzinho, beeeem finalzinho até lembra “Sorry”. Outra excelente escolha para single.

Nota 10

Incredible 6:20 (P. Williams / Madonna)

É o típico caso de uma música “ame-a ou odeie-a”. Pois é.. Eu odiei. A maior das músicas de “Hard Candy”, é simplesmente irritante. A voz de Madonna no refrão é um tanto quanto repetitivo. No meio da música, ela faz alguns agudos que não agradam muito. Para melhorar a situação, a música parece um tanto quanto sem ritmo. A partir do 4º minuto, Madonna simplesmente fica repetindo incessantemente os versos “Incredible, let’s finish what we started / Incredible, you’re welcome to my party” (Incrível, vamos terminar o que terminamos / Incrível, você está convidado para minha festa) e sua voz vai ficando cada vez mais fina simplesmente irritando. Tem um “quê” de Pepê & Neném e de funk carioca. Fica a dica. Enfim… Há quem goste, né?

Nota 5

Beat Goes On ft. Kanye West 4:27 (P. Williams / Madonna / K. West)

Outra faixa que havia vazado há algum tempo, porém que foi geneticamente completamente modificada, dando um up total. É mais uma em que é impossível ficar parado. Alguns versos da versão antiga da música ainda são repetidos, mas ficaram com uma roupagem muito mais black, e com alguns elementos eletrônicos. Tem direito a rap do Kanye West e tudo. Mais um chiclete onde você vai cantar pro resto do seu dia “On and on, on the beat goes…”. Também podia ter sido um pouco maior.

Nota 9,5

Dance 2Night 5:03 (Madonna / T. Mosley / J. Timberlake / H. Lane)

Você consegue ver essa faixa facilmente no “Bedtime Stories”. E, apesar de no título não falar “featuring Justin Timberlake”, ele participa ativamente da faixa. Com vários toques das músicas mais antigas, quem não gostou do CD até agora, passa a gostar, pelo menos dessa faixa. Fica até difícil acreditar que essa foi uma produção de Timbaland, porque não se ouve simplesmente nada dele. Ao som da batida cativante Justin e Madonna cantam: “You don’t have to be beautiful to be good / You don’t have to be rich and famous to be understood” (Você não precisa ser bonito para ser bom / Você não precisa ser rico e famoso para ser entendido). São os 5 minutos mais rápidos da sua vida. Dá vontade de colocar no repeat. Também merece ser single.

Nota 10

Spanish Lesson 3:38 (P. Williams / Madonna)

Sem dúvida a pior música do álbum. Madonna dá uma de professora de espanhol (como se fosse a autoridade maior de ensino da língua espanhola). Não há faixa mais irritante no mundo que essa. A voz mais fina do que nunca não existe. Eu não tenho simplesmente nenhum comentário. O lado bom, é que essa talvez seja a menor faixa do álbum ^^.

Nota 1 (pela duração)

Devil Wouldn’t Recognize You 5:09 (Madonna / T. Mosley / J. Timberlake / N. Hills / J. Henry)

Se a anterior foi a pior música do álbum, essa é uma das melhores, o que não significa que seria um excelente single. É uma música muito bacana para simplesmente se ouvir. Dá facilmente para se cantar “Cry Me A River” e “What Goes Around… Comes Around” de Justin sobre o instrumental dessa música. Mais uma razão para eu ter dito que já ouvir tudo isso antes. Porém, é uma faixa muito bacana. É tocante. Principalmente pela voz de Madonna, que está linda. Com muitos backing vocals e tal. No meio da música ouve-se Justin fazendo várias vozes como as de um coral, o que deu um toque magnífico à música. É inexplicável. Simplesmente linda! A letra fala de pessoas que sempre se aproveitam dos outros para subir na vida. Ficamos de tal forma que nem “o diabo nos reconheceria”.

Nota 10

Voices 3:39 (Madonna / T. Mosley / J. Timberlake / N. Hills / H. Lane)

Não sei se gostei ou não dessa música. Ela prossegue o caminho mais sério, mas a voz de Madonna soa como se ela tivesse cansada e de saco cheio de cantar. Não passa uma sensação muito confortável. É um tanto quanto estranha, o que não significa que seja ruim. Justin também faz os backing vocals. O final com uma orquestra, destoa completamente da música que já soa destoada de todo o tema do CD.

Nota 7

Então é isso.. Enfim. As críticas aí acima são apenas opiniões minhas. É muito mais interessante ouvir o CD e tirar suas próprias conclusões, né? Então.

Ah! E aqui, só baixe na internet se você for comprar o CD depois. O meu já está comprado, viu? ; )

Anúncios

Um pensamento sobre “Isso que é um doce duro…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s