Femme Fatale: A Era. O início da turnê

Diversos sites já confirmavam shows de Britney na América do Sul, mas nada era oficializado, deixando os fãs desorientados.

A capa do single de “I Wanna Go” era divulgada.

A turnê começava a tomar forma para os fãs quando o blogueiro Perez Hilton divulgou um vídeo de Britney vendo pela primeira vez o palco de sua turnê. Ela parece uma criança ganhando um brinquedo novo. rs.

Continuar lendo

Femme Fatale: A Era. Os Preparativos para a turnê.

Brian Friedman, coreógrafo de Britney, ainda revoltadinho porque os Brit-fãs não gostaram muito da edição do clipe de “Hold It Against Me”, porque Britney não dançava tanto quando Brian disse que ela estaria dançando, publicou um vídeo dos dançarinos ensaiando a música para provar que a culpa não era dele.

Continuar lendo

Femme Fatale: A Era. Os duetos

Britney abria o mês de abril com uma participação no Kid’s Choice Awards, junto ao Kung Fu Panda, fazendo um esquete de humor.

Britney concedia mais uma vez, entrevistas para perguntas enviadas pelos seus fãs e dizia que “queria que o ‘Femme Fatale’ fosse poderoso e muito mais agitado [em relação ao ‘Circus’]” e que talvez gravasse o DVD da turnê. Continuar lendo

Femme Fatale: A Era. O lançamento do álbum.

Março já começava fervendo, com a divulgação da suposta tracklisting do novo CD de Spears – o que mais tarde veio a se confirmar.

FEMME FATALE — VERSÃO COMUM (12 faixas)

1. Till The World Ends — 3:57
2. Hold It Against Me — 3:49
3. Inside Out — 3:38
4. I Wanna Go — 3:30
5. How I Roll — 3:36
6. (Drop Dead) Beautiful (Feat. Sabi) — 3:36
7. Seal It With A Kiss — 3:26
8. Big Fat Bass (Feat. Will.I.Am) — 4:44
9. Trouble For Me — 3:19
10. Trip To Your Heart — 3:33
11. Gasoline — 3:08
12. Criminal — 3:45 Continuar lendo

Femme Fatale: A Era. O lead-single.

Chegamos em fevereiro e a temporada de rumores estava aberta.

Os rumores também davam conta do novo álbum de Spears. Anunciavam títulos como “Antidote”, “Switch You On” e “I I I Wanna Go O O” como faixas do CD. Das três, só a terceira vinha a se confirmar mais tarde – apesar de, na época, ter sido tida como a mais fraca do álbum. Continuar lendo

Femme Fatale: a Era. A ansiedade.

Comecemos pelo começo. Janeiro.

2011 já começava com um grande mistério. Ryan Seacrest havia anunciado que o novo single de Britney, “Hold It Against Me” seria lançado dia 07 de janeiro, porém Adam Leber, assessor dela desmentia o anúncio. Parte da letra da música seguia vazando aos poucos, e nada de lançarem de fato o single.

Enquanto isso, Jessie J anunciava que comporia uma música para novo álbum de Spears, o que não aconteceu. Continuar lendo

Britney Spears. Femme Fatale Tour Brasil 2011.

15 de novembro de 2011 – 21h
Rio de Janeiro – RJ 
Praça da Apoteose
R. Marques de Sapucaí , s/nº – Centro – Rio de Janeiro – RJ
Duração: 1h30

Ingressos:
R$ 220 (pista) e R$ 110 (pista • meia entrada)
R$ 550 (pista premium) e R$ 275 (pista premium • meia entrada)

Vendas limitadas a 08 ingressos por pessoa

18 de novembro de 2011 – 22h
São Paulo – SP 
Arena Anhembi
Av. Olavo Fontoura, 1.209, Anhembi Parque – Santana
Duração: 1h30

Ingressos:
R$ 225 (pista) e R$ 112,50 (pista • meia entrada)
R$ 600 (pista premium)e R$ 300 (pista premium • meia entrada)

Para mais informações sobre pacotes VIP, compra de ingressos, entre outras, clique em “Continuar lendo…”

Continuar lendo

Britney Spears está de volta. Ao Brasil.

Já rolou em todos os sites relacionados a música: Britney Spears finalmente voltará ao Brasil depois de pouco mais de dez anos.

Os shows rolarão dias 15 e 18 de novembro de 2011, no Rio de Janeiro (na Praça da Apoteose) e em São Paulo (na Arena Anhembi), respectivamente. A pré-venda dos ingressos rolará dia 22 de agosto, para clientes Credicard, Citibank e Diners; e para o grande público, a partir do dia 29 do mesmo mês. Rolam boatos de que os ingressos para o show de São Paulo custarão R$ 250 (pista normal) e R$ 600 (pista premium).

E a 100 dias do primeiro show da turnê em terras tupiniquins, o Mercado Pop vai fazer a contagem regressiva relembrando os melhores momentos desta, que é, de longe, a melhor era de Britney há tempos: a “Femme Fatale”. Nesse meio tempo, também reuniremos as últimas notícias sobre a passagem de Spears no Brasil.

Aguarde.

A mulher fatal…

Como a própria disse, “a bitch está de volta, e melhor do que nunca”. Britney Spears está de álbum novo este mês e o Mercado Pop foi um dos que ouviu ao CD com exclusividade. Rs. Brincadeirinha. Como todos sabemos, o álbum vazou na internet 17 dias antes do lançamento, para alegria dos fãs e desespero da equipe de Brit, que previa o lançamento para dia 29 de março.

Este é o sétimo álbum de estúdio da srta. Spears, sucessor de “Circus”, de 2008. Nesse meio tempo, a princesa do pop lançou apenas – mais uma – coletânea, responsável por “3”. Cinco anos atrás, seria classificado como “alternativo”, mas “Femme Fatale” é um album bem experimental, mais até que o “In The Zone” (2003) e mais eletrônico que o “Blackout” (2007). Na verdade, é uma evolução, um “Blackout 2.0”. Como o site PopJustice definiu, o DNA do álbum é o dubstep, mas que tornou o trabalho final mais como um popstep/dance. Graves de te deixar arrepiado e umas vibrações metálicas alucinantes resultam num som agressivo que compõe essa, que pode ser considerada a obra-prima da carreira de Britney.

O The Sun ainda apontou que Spears “passou de rainha do pop para rainha do hardcore dance”. Até porque esse álbum não tem baladas, o que ela já não faz há muito tempo, mas tudo bem: o autoconhecimento finalmente fez Britney perceber que a voz dela é boa mesmo para as pistas de dança. A More! Magazine elogia dizendo que “o álbum tem um toque [de dubstep] do começo ao fim, mas  (…) ainda é um clássico pop e coloca muitos dos sons mal feitos que estão por aí hoje em dia no chinelo“.

Bom, dito isso, vamos à crítica faixa-a-faixa.

Para baixar o álbum, ler a crítica faixa-a-faixa, ver mais fotos, e o clipe de “Hold It Against Me”, clique em Continue lendo…”

Continuar lendo

O muleque que sabia demais

Michael Penniman – nosso querido Mika, de 27 anos – lançou em setembro de 2009, o seu segundo álbum “The Boy Who Knew Too Much”, sucessor do incrível “Life in Cartoon Motion”. Com uma sonoridade um tanto quanto parecida com o primeiro, esse lançamento segue com um estilo à la cartoon, mas com uma superioridade surpreendente. Isso já se nota com os primeiros singles do álbum: “We Are Golden”, “Blame It on the Girls” e “Rain”.

Além disso, com esses novos vídeos, percebemos que Mika aprendeu direitinho como lidar com sua imagem, já que só no primeiro clipe, ele já aparece sem camisa durante o vídeo. E para a divulgação desse álbum, que originalmente teria o mesmo nome que o lead-single, o mais cotado a sucessor de Freddie Mercury prometeu via seu twitter oficial que faria, sim, shows no Brasil, e cumpriu: em novembro do ano passado, veio ao festival Planeta Terra.

A capa do álbum, assim como do primeiro, foi desenhada pela irmã de Mika, Sophie Blackall, e é inspirada dos livros de crianças das décadas de 40 a 70. Além disso, suas músicas também seguem esse estilo. O próprio Mika classificou seus agudos nesse disco como “fantasias góticas Tim Burton-escas”, em contraste com o primeiro álbum que continha “contos de fada inocentes”.

Para ler a crítica faixa-a-faixa, e ver os clipes dos singles do álbum, clique em “Continue lendo…”

Continuar lendo